Pó, Cinza e Recordações

Não conhecia este autor. Este livro chegou-me inesperadamente às mãos, e li-o com curiosidade.

pó

Fiquei bem impressionada com a qualidade descritiva e variedade temática.

  • É um diário de um ano, durante o qual é passada em revista a sua vida, interessante como não pode deixar de ser a de alguém que desde novo escolheu uma sociedade muito diferente da sua original para viver.

Advertisements

Artes

A arte de ler é, em muitas maneiras, contrária à arte de escrever.
Ler é um ofício que enriquece o texto concebido pelo autor, aprofundado-o e tornando-o mais complexo, concentrando-o para que reflicta a experiência pessoal pessoal do leitor e expandindo-o para que alcance os mais longínquos confins do universo do leitor e mais além.
Escrever, ao invés, é a arte da resignação- o escritor tem de aceitar o facto de que o texto final não será mais do que um reflexo turvo da obra que concebera na mente, menos iluminado, menos subtil, menos pungente, menos preciso.
letras
Alberto Manguel   em    Uma História da Curiosidade (Tinta da China)

Efeitos da Leitura e da Vida

Quando leio um livro tenho a impressão de lê-lo somente com os olhos, mas de vez em quando deparo-me com um texto, talvez apenas uma frase, que tem um significado para mim, e ele torna-se parte de mim; tirei do livro tudo o que me é de alguma utilidade, e não posso extrair mais, ainda que o releia uma dúzia de vezes.

Parece-me que cada um de nós se assemelha a um botão de flor fechado, e a maior parte do que lê e faz não tem efeito nenhum; mas há certas coisas que têm um significado particular para nós, e elas abrem uma pétala; e as pétalas abrem uma por uma, e no final a flor está aí.

rosa 2

Somerset Maugham    em     ‘A Servidão Humana’.